Um café na Confiteria Torres, em Santiago do Chile

Eu sou apaixonado por cafés. São lugares fantásticos, que convidam à reflexão, ou mesmo a uma conversa, seja mais descontraída, seja mais profunda. Os cafés são lugares de onde surgem ideias e que possuem um charme que muitos outros estabelecimentos se esforçam para alcançar.

Por isso, seja na minha querida São Paulo, seja em outras terras, são locais que eu gosto de visitar. Lendo um pouquinho, eu descobri que Santiago possuía um café clássico, chamado Confiteria Torres. De um modo simples, Confiteria Torres está para Santiago como Café Tortoni está para Buenos Aires e, ainda, como Confeitaria Colombo está para o Rio de Janeiro.

Frente da Confiteria Torres, em Santiago do Chile

A Confiteria Torres existe desde 1879, uma senhora de muitíssimo respeito. Já foi frequentada (e ainda é) por artistas e grandes figuras chilenas e um dos lanches tradicionais do lugar (e do Chile, como um todo), o Barros Luco, é uma homenagem a um antigo presidente chileno que frequentava a Torres e só pedia esse prato. Por muito menos, eu já teria me dignado a conhecer o lugar.

Foi um pouquinho difícil de encontrar, devido à minha desorientação espacial natural. Eu estava no lado errado da avenida, fui andando, andando e nada de aparecer o café. Até que eu me toquei da burrice, voltei, atravessei a rua e encontrei o lugar.

A fachada é simples, com tons de rosa e branco, mas com um leve toque clássico. Atravessando as portas de vidro e madeira, adentra-se a um ambiente de meia luz com ares históricos.

Parte interna da confiteria torres, com seus lutres e seu ar clássico

Fui em uma tarde de sexta-feira e o lugar estava tranquilo, para não dizer vazio. Alguns senhores comiam nas mesas à esquerda, mesas estas reservadas a refeições, pelo que eu entendi. Nas mesinhas à direita, uma senhora e uma mulher tomavam café e conversavam em espanhol apressado.

Depois de sentar no ambiente errado (as citadas mesas à esquerda de quem entra), o garçom, um senhor simpático, me conduziu gentilmente a uma mesa (dentre as citadas mesas à direita :P) para tomar um cafezito. O expresso acompanhou um crème brulée.

O doce não estava maravilhoso, tampouco ruim, ficando na média. Não obstante, o café foi muito agradável, o atendimento cortês e o ambiente gostoso de ser frequentado e apreciado. Você sai de uma avenida movimentada de Santiago e cai na paz de um café histórico.

Uma boa hora e meia da minha tarde se passou ali.

Cafezinho na confiteria torres

Apesar de ter tido um café agradável, o Torres serve gastronomia chilena e suspeito que tal gastronomia seja o forte do local, a julgar pela grande área reservada para desfrutar das refeições. Isso sem contar o já mencionado Barros Luco. Mais tarde, fiquei arrependido de não ter planejado um almoço ou um jantar lá.

Vai ter que ficar para a próxima.

 

Todos os caminhos levam a:

Confiteria Torres

Onde: Av Libertador Bernardo O’Higgins 1570, Santiago Centro. (muitas vezes a Libertador é chamada simplesmente de “Alameda”). Menos de 10 minutos a pé do Palácio La Moneda. O metrô mais próximo é Los Héroes. Também possui duas filiais: Isidora (Isidora Goyenechea 2962, Las Condes, Santiago) e La Moneda (no Centro Cultural La Moneda, na Plaza de la Ciudadanía nº 26, Nível 1, Santiago Centro).

Quando: de segunda a sábado, das 10:30 às 0:00 hs.(horários da matriz da Alameda, visitada por este que vos escreve, segundo site do estabelecimento).

Site: http://confiteriatorres.cl/

 

Sou servidor público, paulistano e fã de Beatles. Viajar me dá motivos para escrever e escrever me dá desculpas para viajar. Tenho um calendário em casa e um na mesa do trabalho, no qual planejo feriados, férias e viagens.

2 comentários sobre “Um café na Confiteria Torres, em Santiago do Chile

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *