Do Alto da Basílica de São Pedro

Há uma série de vistas que não deixam de serem lindas por serem manjadas. É justamente disso que se trata enfrentar os degraus da Basilica di San Pietro para chegar à cúpula que descortina uma manjada e linda vista para a Piazza San Pietro e para o Vaticano.

No dia que fui fazer a visita eu já estava bem cansado, mas quando adentrei a Basílica de São Pedro senti um novo influxo de energia. E aqui não estou falando no sentido religioso da experiência, pois, apesar de cristão, eu não sou católico. O que eu quero dizer aqui é que é impossível adentrar a San Pietro e não ficar impressionado.

basilica sao pedro

Desafio-vos a não se impressionar

Por mais que já tenhamos visto a Basílica internamente em fotos, computador ou televisão, nada se compara a adentrá-la e se sentir pequeno diante de um pé direito extremamente alto e de um espaço extremamente amplo. Esta é a sensação: você se sente pequeno diante da grandeza do templo.

basilica-sao-pedro-todos-os-caminhos

Já na entrada, à direita, uma aglomeração de pessoas denuncia a presença ali de uma grande obra prima do gênio Michelângelo: a Pietà, da qual eu falo neste post. Depois de ficar boquiaberto com a San Pietro, é hora de subir à sua cúpula. O acesso fica do lado de fora da igreja.

Aí há duas opções: subir os 500 e poucos degraus por 6 euros, ou tomar um elevador em parte do caminho e galgar os 320 degraus restantes por 8 euros. Acho que foram 8 euros bem gastos.

No caminho para o alto, vi um rapaz passando mal. Não é à toa, a subida é claustrofóbica e, em alguns pontos, lateralmente inclinada. A sensação é bem estranha.

escadas inclinadas na subida para a cúpula da basílica são pedro

“Lateralmente inclinada”. Nada como uma imagem para ilustrar.

Lá em cima, a subida é recompensada pelas múltiplas vistas do Vaticano.

Vista da Piazza San Pietro

Vista da Piazza San Pietro

A vista mais conhecida é a da Piazza San Pietro, mas há outras muito bonitas, já que a estrutura circular permite avistar vários pontos. O ambiente é protegido por grades com um vazamento suficiente no entrelaçado que permite fazer boas fotos.

Jardins do Vaticano

Uma das vistas menos óbvias…

Vista dos prédios do Vaticano

…e outra delas

Por incrível que pareça, antes de ir lá eu não havia me tocado que haveria grades de proteção, pois elas nunca aparecem nas fotos que a gente vê por aí, não é?

Santa inocência, eu sei.

As filas para adentrar a Basílica são grandes. Afinal, é uma atração gratuita e imperdível. Lembro de ter ficado uma hora e qualquer coisa na fila, enquanto escrevia no meu diário. Para subir a cúpula, há mais uma fila, esta menor.

No caminho de volta, a descida da cúpula possui um ponto de parada, uma espécie de terraço. Ali você verá um posto de correio do Vaticano (que tal enviar um postal dali?), lugar para abastecer sua garrafa d’água, lojinha e visões interessantes. Este terraço fica nas costas das estátuas dos apóstolos e de Jesus, estátuas estas que ficam na fachada da Basílica.

Ponto de parada na descida

Ponto de parada na descida

Como na descida todo santo ajuda, em alguns minutos você está de volta à Piazza San Pietro, aquela que, alguns momentos atrás, você estava avistando lá do alto. Tanto dentro da Basílica como no topo dela, confesso ter me esquecido completamente do cansaço.

Sinal de como valeu a pena.


Todos os caminhos levam a:

Basilica di San Pietro

Onde:  Piazza San Pietro, 00120 Città del Vaticano, Vaticano. De 10 a 15  minutos de caminhada do metrô Otaviano-S. Pietro – Musei Vaticani

Quando: das 07 às 18:30 hs, de outubro a março; e das 07 às 19 hs, de abril a setembro. Horários podem ser conferidos no site oficial, neste link. A cúpula abre uma hora depois e fecha uma hora antes.

Quanto: a entrada à basílica é gratuita! 😀  Para subir à cúpula, são 6 euros se você optar em fazer o percurso inteiro de escada (mais de 500 degraus); por 8 euros, você faz parte do percurso de elevador e os 300 e poucos degraus restantes na pernada.

Importante: preste atenção às vestimentas! Não é permitido entrar com os ombros descobertos ou com roupas acima do joelho.

Sou servidor público, paulistano e fã de Beatles. Viajar me dá motivos para escrever e escrever me dá desculpas para viajar. Tenho um calendário em casa e um na mesa do trabalho, no qual planejo feriados, férias e viagens.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *