Leitura de viagem: 66 histórias de uma volta ao mundo

Alguns dias atrás, estava numa livraria procurando determinado guia de viagem, quando me deparei com um livro intitulado “66 histórias de uma volta ao mundo”, por Nara Alves. Livro não se julga por capa, nem por título, mas o título me ganhou. Levei pra casa e terminei a leitura estes dias.

66 histórias de uma volta ao mundo

66 histórias de uma volta ao mundo

O livro conta a história de uma jornalista que saiu de um emprego bacana em uma rede de televisão para dar a volta ao mundo com o namorado. Nada de insatisfações profissionais ou coisa do tipo: vontade pura e simples de viajar por um ano ao redor do planeta. Planejaram tudo, venderam seus bens e foram.

A linguagem é muito mais em formato blog, informal e fluida. Exemplo: a autora sofre de prisão de ventre, especialmente quando viaja. Isso dá ensejo a várias situações e muitas histórias giram em torno de banheiros ao redor do mundo, em busca da cagada perfeita. ☺️ Dos banheiros tecnológicos japoneses até os banheiros estrategicamente espalhados pelas belas trilhas da Nova Zelândia, o tópico dá bastante o que falar.

Em muitas das histórias, vários estereótipos e impressões vão sendo desmontados e várias curiosidades vão sendo demonstradas. Lugares e ilhas dos quais eu nunca ouvi falar estão no roteiro e trazem um conhecimento novo e bacana.

Algumas desconstruções são muito interessantes. Xiitas são mais radicais que sunitas? Talvez não seja bem assim. As mulheres no Irã sofrem tremenda repressão machista? Há impressões no livro que sugerem nuances interessantes. Sabia que no Vietnã a “Guerra do Vietnã” é chamada de Guerra dos Estados Unidos? As curiosidades e desconstruções geram algumas das histórias mais interessantes do livro.

Confesso que não é um livro espetacular, nem mesmo excepcional. Entretanto, possui o mérito de dar ideias de viagem e noções de lugares para as quais normalmente não pensaríamos em ir, como Irã ou Líbano. Como a linguagem é leve e bem humorada, a leitura é agradável. E inspira. Uma das histórias, que eu não vou contar para não estragar, figura como um dos fracassos mais incríveis da vida do casal. Às vezes você não atinge o que planejou, mas a jornada compensa mesmo assim.

Terminei o livro cheio de ideias e com vontade de relê-lo num futuro breve. Ficou curioso? Se ler, conta pra gente o que você achou. 😉

 

Sou servidor público, paulistano e fã de Beatles. Viajar me dá motivos para escrever e escrever me dá desculpas para viajar. Tenho um calendário em casa e um na mesa do trabalho, no qual planejo feriados, férias e viagens.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *