O que fazer em Curitiba – Museu Oscar Niemayer

Já era a minha quinta viagem a Curitiba. Uma cidade da qual eu gosto muito, com lindos parques, na qual eu tenho parentes e que é relativamente perto de São Paulo: desculpas mais do que suficientes para minhas visitas recorrentes. Entretanto, em nenhuma das quatro primeiras visitas à cidade eu visitara um dos grandes highlights da capital paranaense: o Museu Oscar Niemayer, também conhecido como Museu do Olho.

Museu Oscar Niemayer, um dos ícones de Curitiba

Museu Oscar Niemayer, um dos ícones de Curitiba

Um dos principais museus do Brasil, o Museu Oscar Niemayer é reconhecido nacional e internacionalmente pelo peso artístico de suas exposições e do seu acervo e, também, pela sua arquitetura singular, obra de Oscar Niemayer.

Das primeiras vezes eu passava na frente dele, fazia minha foto com ele ao fundo e ia embora. Entretanto, o MON merece mais do que isso. Você pode não querer entrar no museu por motivos vários: pode simplesmente não gostar de museu, não ter tempo, não querer gastar no ingresso ou outro motivo qualquer. Se você se enquadra em um destes casos, também dá para aproveitar o museu sem pagar nada.

Abordarei aqui os dois estilos de visita: aquilo que dá pra aproveitar na faixa e o que você precisa pagar pra ver.

 

Museu Oscar Niemayer Gratuito

O seu passeio pelo MON começa da forma mais óbvia: chegando a ele, a arquitetura singular provavelmente fará com que você saque do celular e faça algumas fotos com ele ao fundo. O prédio é único, e o amarelo e o preto dão um efeito sensacional, ainda mais se você pegar um dia de céu azul.

Museu Oscar Niemayer

Após fazer algumas fotos, desça a rampa de acesso ao museu. Indo para o lado esquerdo, você terá uma outra vista da arquitetura, pois estará na base dela. Aproveite para fazer fotos de um ângulo diferente.

A Bailarina na base do Olho do Museu Oscar Niemayer

A Bailarina

Voltando ao fim da rampa, em frente você verá o local em que ficam a lojinha do museu, a bilheteria e o café. Em vez de ir para eles, siga à direita e você estará no Pátio dos Cones. É um espaço em que você poderá aproveitar um pouco da arte do museu e fazer fotos interessantes sem pagar nada por isso.

Pátio dos Cones

Pátio dos Cones

Continuando pelo pátio, no parapeito de uma das muradas você poderá visualizar o Pátio das Esculturas lá embaixo. Você pode também dar uma olhada na lojinha do museu. Olhar não custa nada.

E, na verdade, você já deu um passeio pelo museu sem gastar nada, não? Custando poucos minutos, custando zero reais e com umas boas fotos a mais na câmera ou no celular.

 

Museu Oscar Niemayer Pago

O ingresso de acesso custa R$ 16,00 (preço em 2017). Você não pode entrar com líquidos no museu, mas há bebedouros em todos os andares e um guarda-volumes assim que você passa pelo detector de metais. Pegue o mapinha do museu e mãos à obra.

Espaço Niemayer

Espaço Niemayer

O Museu Oscar Niemayer se divide em subsolo, térreo, andares superiores e salão do olho. O museu é bem eclético, exibindo quadros, esculturas, fotografias, xilogravuras e outras coisas mais. Uma parte do acervo é fixa e outra funciona por meio das exposições temporárias que passam por lá. Ou seja, cada vez que você for lá topará algo diferente. E grande parte do apelo do museu reside justamente nas exposições temporárias.

Destaco cinco pontos para sua visita ao museu:

 

1) ESPAÇO NIEMAYER

Maquete do MON

Maquete do MON

Como não poderia deixar de ser, o museu possui uma galeria reservada a Oscar Niemayer, com maquetes de diversas obras do arquiteto, painéis e vídeos. O Espaço Niemayer faz parte da exposição permanente do museu e fica no subsolo. Imperdível.

 

2) PÁTIO DAS ESCULTURAS

Escultura no Espaço V, de Oscar Niemayer

Escultura no Espaço V, de Oscar Niemayer

Eu gostei mais da pegada inclusiva do pátio das esculturas do que do pátio em si. Acontece que há miniaturas das obras ali expostas, para que deficientes visuais possam apreciá-las por meio do tato. Achei muito bacana! O acesso ao pátio externo fica no subsolo e lá há obras de Tomie Ohtake e Niemayer. O pátio também faz parte da exposição permanente do MON.

 

3) O OLHO E O TÚNEL DE ACESSO

Túnel de Acesso ao Olho

O acesso ao salão do olho se dá por um túnel no subsolo. O túnel possui formato curvo e é de um branco ofuscante. Não à toa, as pessoas sempre param para fazer uma selfie nele. Após atravessá-lo, no último andar estará o salão do olho. O Olho é uma das coisas mais emblemáticas do museu, logicamente. É divertido estar dentro da estrutura com suas curvas. Na data da minha visita a próxima exposição do salão estava sendo montada, sendo possível apenas dar aquela espiada na estrutura, sem direito a fotos.

 

4) OBRAS SOB GUARDA DO MON

Espaço Confinado - série com 6 obras, de Pedro Motta

Espaço Confinado – série com 6 obras, de Pedro Motta

Aqui, um fato curioso: o MON foi escolhido para manter sob sua guarda obras apreendidas pela Polícia Federal na operação Lava-Jato. Se não dá para dizer que é uma exposição permanente, por outro lado ela está caracterizada como exposição de longa duração, sem data para término. Há algumas obras bem interessantes lá, como Miró, Vik Muniz e muitos outros. A obra que eu mais gostei foi o “Espaço Confinado”, uma sequência de 6 quadros.

 

5) EXPOSIÇÕES EM CARTAZ

Fotografias de Orlando Azevedo: Rita Fialek (esq.) e foto sem título (dir.)

Belíssimas fotografias de Orlando Azevedo: Rita Fialek (esq.) e foto sem título (dir.)

Como eu disse, uma das grandes estrelas do museu são as exposições temporárias, que mudam constantemente. Pegue o folhetinho de programação na entrada para saber quais mostras estão rolando, localize-se e vá de sala em sala.

O MON conta com elevadores e rampas de acesso a todas as salas expositivas, bem como banheiros adaptados para cadeirantes. Há empréstimo de cadeiras de rodas e carrinhos de bebê para locomoção no espaço interno, sujeito à disponibilidade.

Para uma visita completa ao museu eu recomendo que você separe umas 3 horas, para ver tudo com calma. Se você é daqueles que só passa o olho nas obras, metade do tempo deve ser suficiente. Tempo apertado? Passeie pelo vão livre, a parte gratuita do museu!

Já foram ao Museu Oscar Niemayer? Gostaram? Comentem!


Todos os caminhos levam a:

Museu Oscar Niemayer

Onde: Rua Marechal Hermes, 999. É uma das paradas da Linha Turismo.

Quando: de terça a domingo, das 10 às 18 hs.

Quanto: R$ 16,00, com direito a meia entrada (preço em 2017); entrada gratuita toda quarta-feira; entrada gratuita para menores de 12 e maiores de 60 anos.

Site: http://www.museuoscarniemeyer.org.br/home

 

Sou servidor público, paulistano e fã de Beatles. Viajar me dá motivos para escrever e escrever me dá desculpas para viajar. Tenho um calendário em casa e um na mesa do trabalho, no qual planejo feriados, férias e viagens.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *