Programa grátis em Roma – Moisés, de Michelângelo

Roma é um poço de arte e se você quiser apreciar muita arte na cidade sem gastar um euro, tal feito é plenamente possível. Isso porque a cidade abriga mais de 900 igrejas as quais, por sua vez, abrigam tesouros inestimáveis de arte. Este post se dedica a uma dessas obras-primas: o Moisés, de Michelângelo.

A obra está dentro da igreja San Pietro in Vincoli (São Pedro Acorrentado), que tem esse nome por abrigar em uma urna as correntes que teriam acorrentado São Pedro no cárcere.

Uma pequena urna dourada guarda as correntes

A entrada é gratuita e o fluxo de turistas não é tão alto se comparado a outras atrações de Roma. Demorei um pouco para encontrar a igreja, já que eu tenho um senso de direção ridículo, mas ela fica a alguns minutos de caminhada do Coliseu. A estação de metrô Cavour também está bem próxima.

Enquanto eu me perdia pelo caminho, encontrei um músico de rua tocando Lei It Be, dos Beatles, em uma sanfona, sentado em uma escadaria. Notório fã de Beatles que eu sou, parei para apreciar e só isso já tornou minha caminhada agradável.

A igreja, de fora, não tem aquela arquitetura que você olha e já sabe que se trata de uma igreja. É uma arquitetura mais enxuta, modesta e com menos adornos. Internamente a San Pietro in Vincoli é bem bonita e forma um quadro mais complexo e, consequentemente, mais interessante de se admirar.

Um dos afrescos do teto

Vale prestar atenção nos afrescos no teto e nas paredes laterais, que exibem painéis interessantes. A área ao redor e sobre a urna com as correntes de São Pedro também é bem adornada e lindíssima.

Gostei especialmente desse painel macabro

Gostei especialmente desse painel macabro

Falemos do Moisés.

Em termos de arte, sou totalmente leigo quanto a aspectos técnicos e tudo mais. Sempre que possível leio sobre, mas o essencial quando eu vou tentar apreciar qualquer obra é que aquilo me toque de alguma forma. Se aquilo desperta algo em mim, é porque há algo especial ali.

Bem, senti isso em todas as obras do Michelângelo que tive oportunidade de apreciar. Palavras sinceras de um leigo.

No Moisés, a primeira coisa que chamou a atenção foi a imponência.

Mosé, de Michelângelo

Mosé, de Michelângelo

Eu não havia visto a imagem da escultura antes, não havia pesquisado na internet. Quando cheguei a ela, o meu primeiro pensamento foi de que, se eu idealizasse uma imagem de Moisés, eu nunca pensaria na imagem que Michelângelo pensou. Sempre pensei em Moisés como um senhor idoso, com as vestes rotas e a aparência cansada. Fatigado, não obstante forte de espírito.

A estátua, ao contrário, passa uma imagem de imponência e de respeito, de auto-controle e segurança. Moisés está sentado, com as tábuas dos mandamentos na sua mão direita, enquanto olha para o lado oposto. O olhar é firme, sério e, no semblante, pode existir até um quê de tristeza. A pose, embora imponha respeito, não é arrogante. A composição, em resumo, é maravilhosa.

Observando com atenção a escultura, é possível notar um detalhe bem curioso: Moisés possui um par de chifres.

Basta um pouquinho de atenção para notar o par de chifres

Basta um pouquinho de atenção para notar o par de chifres

Isso, eu descobri depois, deve-se à tradução bíblica, para o latim, de um termo ambíguo usado para descrever a aparência de Moisés ao retornar com as tábuas dos dez mandamentos. O termo em questão poderia significar tanto “chifres” como, em sentido diverso, “reluzente”.

Conta-se que, após terminar a escultura, Michelângelo começou a bater em Moisés, gritando a ele que falasse. O artista teria tido uma alucinação diante da beleza de sua obra e achou, por um momento, que aquilo que ele via diante de si era um ser humano e não somente uma fria pedra de mármore.

Seria a lenda um exagero? Pode ser. Pelo sim e pelo não, acho que vale a pena conferir de perto uma obra capaz de causar tamanho efeito em um gênio como Michelângelo. Não acha?

Todos os caminhos levam a:

San Pietro in Vincoli e Mosé (Moisés), de Michelângelo

Onde: Piazza di San Pietro in Vincoli, 4/a, 00184 Roma, Itália. A igreja fica próxima ao Coliseu e mais próxima ainda do Metrô Cavour.

Quando: a igreja fica aberta das 8 às 12:30 hs; e das 15 às 18 hs (até as 19 hs de abril a setembro).

Quanto: grátis.

Sou servidor público, paulistano e fã de Beatles. Viajar me dá motivos para escrever e escrever me dá desculpas para viajar. Tenho um calendário em casa e um na mesa do trabalho, no qual planejo feriados, férias e viagens.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *