Bairro Bellavista, a Vila Madalena de Santiago

Para quem não conhece, a Vila Madalena é o bairro dos bares aqui em São Paulo, um ótimo lugar com ótimos lugares para beber com os amigos. É como a Cidade Baixa, em Porto Alegre, ou como a Savassi, em Belo Horizonte (apesar de que quase todo lugar é lugar pra beber em BH =P ). Acho que deu pra pegar o conceito, certo?

Cadeiras na calçada do bairro Bellavista de Santiago, à noite

Cadeiras nas calçadas do bairro Bellavista

Santiago do Chile tem um bairro bacana nesse estilo chamado Bellavista. A primeira vez que eu passei pelo bairro foi na segunda metade da tarde de um sábado, quando eu estava indo para o Cerro San Cristobal. Já tinha gente pelos bares e eu pensei que seria legal dar um pulo ali pela noite. Eu já tinha lido sobre o bairro e uma local já tinha me recomendado comer e beber por ali. Em suma, só boas referências.

À noite, em vez de ir diretamente para lá, resolvi passar em um lugar antes, para experimentar uma bebida chamada Terremoto. O lugar: La Piojera, um inferninho que eu tinha visto na TV e que eu fiquei curioso de conhecer. O Terremoto: uma bebida que mistura vinho com sorvete.

Sim, vinho com sorvete.

Chegando ao La Piojera, minha impressão foi singular e imediata: eu simplesmente odiei o lugar.

Gente bêbada e esquisita falando alto, bebida derramada a torto e a direito pelo chão, lugar estranho e necessário se espremer por entre a galera para andar. Eu disse inferninho, mas inferno seria mais apropriado, sem diminutivo.

Não tive dúvidas, virei as costas, voltei pro metrô e fui pro Barrio Bellavista.

Na minha Vila Madalena chilena, as boas referências corresponderam à vibe ótima do lugar. O bairro é bem descolado e charmoso, as calçadas ficam apinhadas de mesas e os bares e restaurantes, cheios. Sentei em qualquer bar/restaurante e pedi uma carne e um Pisco Sour. A bebida estava boa, o prato, mediano.

Sentei nas mesas externas e na rua um figuraça vestido de canguru estava dando um belo show. O artista de rua basicamente dançava músicas latinas, interagindo com os carros e parando, literalmente, o trânsito. O cara era sensacional, a galera morria de rir vendo.

Depois da janta e do Pisco Sour, pedi o Terremoto, pra fechar.

Vinho doce com sorvete

Sim, vinho com sorvete

Não sei definir a bebida, mas acho que não me tornei um fã. Vinho com sorvete resultou em uma mistura deveras estranha. Prove e me conte o que você achou depois.

Após os comes e bebes e o show do Canguru, saí andando pelo agradável bairro. A noite estava ótima. Interessante que, além dos bares e mesas nas calçadas, andando eu enveredei por um corredor e dei de cara com um pátio cheio de restaurantes, restaurantes estes com uma vibe que me lembrou os restaurantes do centro de Campos de Jordão, aqui em São Paulo. O pátio tem nome: Pátio Bellavista. Faz sentido.

patio bellavista à noite: complexo de restaurantes em santiago do chile

Patio Bellavista

Tudo apontava que a experiência no Bellavista seria legal. De uma próxima vez pretendo dar uma pesquisada nos lugares mais bacanas pra comer e beber no bairro e aproveitar ainda melhor a vibe do lugar.

E vocês? Já visitaram o Barrio Bellavista? Foram em algum lugar bacana? Deixem dicas nos comentários!

Sou servidor público, paulistano e fã de Beatles. Viajar me dá motivos para escrever e escrever me dá desculpas para viajar. Tenho um calendário em casa e um na mesa do trabalho, no qual planejo feriados, férias e viagens.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *