Roteiro de um dia em Sintra

Boa parte dos roteiros que eu li sobre Sintra são muito bem detalhados e completos, super bons. Aqui, entretanto, eu optei por seguir uma linha um pouco diferente: um roteiro mais lento e conciso, que você consiga fazer entre manhã e tarde sem grandes correrias e aproveitando bem a cidade.

Vila de SIntra, Portugal

Primeiro, uma confissão: eu não gostei lá muito de Sintra. E olha que a cidade tem bons aparatos para conquistar o viajante: castelos coloridos, um ar meio de conto de fadas, de quimera. Ainda assim eu não curti muito, fazer o quê? Lisboa e Porto conquistaram meu coração, Sintra não. Mas como Sintra é um dos bate voltas mais famosos de Lisboa, não posso deixar de falar sobre ela aqui no blog.

Quinta da Regaleira

Quinta da Regaleira

Segundo, se você quiser ver todos os castelos de Sintra, recomendo a pernoite na cidade. Ou que você vá em dois dias diferentes. Tentar fazer tudo num dia só tende a gerar correria e frustração, pois você não vai conseguir ver tudo, ou vai ver tudo mal e por cima. Então tente selecionar.

Bora então passar um dia tranquilo em Sintra?

 

Como chegar

Ruas de Sintra

O melhor modo de chegar é de trem. Leva 40 minutos partindo da estação Rossio, que é super central em Lisboa. A viagem sai na faixa pra quem tem Lisboa Card. Daí chegando em Sintra, preferi ir a pé até o centrinho.

 

Comes e bebes

Onde comer em Sintra, tábua de queijos e vinho

Cheguei perto do almoço. Ali, comi e bebi na Loja do Vinho – Wine & Gourmet (Praça da República, 3), um restaurante com dois níveis: um ambiente térreo e outro, mais legal, subterrâneo. Pedi uma tábua de queijos e uma taça de vinho. Atendimento ótimo!

Piriquita Sintra

Piriquita

Travesseiro de Sintra, o doce mais famoso da cidade

Travesseiro de Sintra, o doce mais famoso da cidade

A guloseima mais famosa de Sintra leva o nome da cidade: Travesseiro de Sintra. O lugar mais clássico para provar o docinho e outros doces mais é a Casa Piriquita (Rua Padarias, 1). Encaixe em algum lugar no seu roteiro e não saia da cidade sem passar por lá.

 

O que fazer: Castelos

O grande atrativo da cidade reside nos castelos: são vários e para todos os gostos. Tentar encaixar muitos em um dia, repito, pode ser cansativo e, se mal planejado, pode gerar frustração: é capaz de você não conseguir ver tudo do jeito ideal e acabar não vendo nada direito. Separei aqui duas atrações famosas da cidade nesse quesito: Quinta da Regaleira e Palácio da Pena.

 

QUINTA DA REGALEIRA

Quinta da REgaleira em Sintra

A Quinta da Regaleira constitui um vasto complexo formado por palácio e construções diversas, jardins, trilhas, lagos e poços. O complexo é grande e ter isso em mente vai evitar que você incorra no mesmo erro que eu: dimensionar mal a visita.

Quinta da Regaleira em Sintra

Estava muito calor no dia, eu queria visitar outros lugares ainda naquele dia em Sintra e eu não tinha ideia da dimensão do passeio pela Quinta da Regaleira. Como o complexo é vasto, você anda bastante, e não é raro se perder lá dentro. Pense em um grande parque com alguns pontos especiais a serem explorados.

Quinta da Regaleira em Sintra

Há algumas torres pequenas para subir e fotografar a vista, há estátuas para apreciar, cavernas para atravessar e poços. Separe pelo menos três a quatro horas para a visita e vá com calçado confortável. A Quinta da Regaleira faz jus ao termo “explorar” tantas vezes usado em viagem.

Quinta da Regaleira em Sintra

O ponto talvez mais famoso da Quinta é o Poço Iniciático. É um poço subterrâneo com uma escada espiral ao longo de sua circunferência. O lugar é escuro e rende um efeito de contraste com a luz que vem do topo. Já esteve no fundo do poço, literalmente? Pois lá isso será possível, e a experiência compensa. Um dos pontos altos da visita e, pra mim, o lugar mais interessante da Quinta!

Poço Iniciático na Quinta da Regaleira em Sintra

Poço Iniciático

O nome “Iniciático” vem da crença de que o local tenha sido usado em rituais de iniciação da maçonaria. Há todo um misticismo em torno do poço: a escada está dividida em nove patamares. A Divina Comédia de Dante Alighieri se divide em três partes: Purgatório, Inferno e Paraíso, sendo que cada um destes se divide em nove círculos, de onde veio a inspiração para a escadaria do Poço Iniciático. Prestando atenção você encontrará outros símbolos ainda, como uma rosa dos ventos no fundo do poço.

Do fundo do Poço Iniciático há caminhos subterrâneos que ligam a outros lugares da Quinta.

Poço Iniciático na Quinta da Regaleira em Sintra

Eu demorei HORRORES para encontrar o poço, então sugiro pegar o mapinha na entrada (eu fiz isso) e se orientar por ele (eu não fiz isso). Como eu dei uma ignorada básica no mapa, eu demorei mais ainda do que já seria normal para chegar à atração que eu mais queria ver dentro da Quinta da Regaleira.


Como chegar: dá pra ir a pé do centrinho numa boa. Recomendo, inclusive, é uma caminhada por lugares bem bonitos, já dá pra pegar a vibe do lugar no caminho.

Quanto: 8 euros. Crianças e idosos pagam menos, bem como famílias. Confira neste link. Há visitas guiadas por 12 euros, com necessidade de agendamento (acessar o link anterior em caso de interesse). Lisboa Card dá desconto no valor da entrada.

Quando: de abril a setembro das 9:30 às 19 hs (última entrada); de outubro a março, até as 17 hs. Confirme horários aqui.

Site oficial: http://www.regaleira.pt/pt/


PALÁCIO DA PENA

Palácio da Pena em Sintra

Palácio da Pena

Provavelmente o palácio mais colorido e chamativo que você verá em vida é o Palácio da Pena, em Sintra. Comparado à Quinta da Regaleira, aqui será necessário menos tempo e esforço para a visitação: duas horas serão suficientes, talvez três horas para um ritmo mais lento, olhando sem pressa todos os cômodos.

Palácio da Pena em Sintra

O primeiro ponto é que o palácio e super colorido: amarelo, vermelho, azul, e uma ou outra cor mais sutil. O efeito é muito bonito: parece um palácio de brinquedo, quase um Lego. O segundo ponto é que ele fica no alto da serra, inserido num complexo maior, o Parque da Pena. Assim, a visão lá de cima é muito bacana. De um dos corredores externos você consegue enxergar o Castelo dos Mouros de um ponto privilegiado.

Castelo dos Mouros em Sintra

Dentro, você terá acesso aos diversos cômodos do complexo palacial.

Palácio da Pena em Sintra


Como chegar: Da Vila de Sintra, o ônibus (ou autocarro) nº 434 da Scotturb faz o trajeto entre a estação ferroviária e o Parque da Pena. Há modalidades diferentes de passagem. O que vai mandar aqui é quantos palácios você pretende visitar. Escolha a melhor opção de acordo com seus planos. Se a ideia for ir a pé, já não é tão simples quanto a Quinta da Regaleira, mas ainda é possível. Dá uma olhadinha aqui no site oficial, neste link, pra mais detalhes. Particularmente, eu subi de ônibus e, como o ponto estava cheio demais, acabei, no impulso, descendo a pé. A descida deve ter levado uns 40 minutos ou mais até o centro de Sintra. Para a subida a pé, infelizmente, fico devendo o relato.

Quanto e quando: preços e horários atualizados neste link. Lembrando que há desconto no valor da entrada com o Lisboa Card. Não sabe do que eu estou falando? Dá uma lida neste post.

Site oficial: https://www.parquesdesintra.pt/


Bônus: estando no centrinho da cidade, querendo ou não você vai avistar o Palácio Nacional de Sintra, com as duas formas cônicas da arquitetura em cor de cal. Ainda que não visite ele, dá pra levar uma foto de recordação. Acabei fotografando ele na descida do Palácio da Pena.

Palácio Nacional de Sintra

Palácio Nacional de Sintra


Quinta da Regaleira e Palácio da Pena foram meus dois escolhidos para meu dia em Sintra, entretanto a cidade tem muitas outras opções nessa linha. Se estiver planejando visitar a cidade e quiser abrir o leque de opções, recomendo a leitura do post do Vontade de Viajar, neste link., bem como o post do Viaje na Viagem, neste outro link aqui.

Vai procurar hospedagem em Sintra? Temos parceria com o Booking! Reservando neste link você não paga nada a mais por isso e o blog recebe uma pequena comissão. Obrigado!

 

Sou servidor público, paulistano e fã de Beatles. Viajar me dá motivos para escrever e escrever me dá desculpas para viajar. Tenho um calendário em casa e um na mesa do trabalho, no qual planejo feriados, férias e viagens.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *